quarta-feira, 4 de março de 2009

Infecções hospitalares e Cândida Albicans

Infecções hospitalares, compreendem infecções causadas, principalmente por bactérias e fungos e que são adquiridas, por pacientes ou mesmo profissionais de saúde no ambiente hospitalar, constituindo uma causa crescente de morbidez e mortalidade em hospitais de todo o mundo,
com prevalências tão altas, 30% em determinados grupos de pacientes.

No Brasil, embora os dados sejam incompletos, estima-se que elas sejam responsáveis por
cerca de 45.000 óbitos e prejuízos da ordem de biliões de reais anualmente.

As infecções hospitalares causadas por fungos, têm-se constituído num problema crescente de saúde pública em muitos países.
Por exemplo, nos Estados Unidos, a prevalência de infecções fúngicas passou de 6% em 1980 para 10,4% em 1990, segundo o Sistema Nacional de Vigilância das Infecções Hospitalares daquele país

Destas, cerca de 80% foram causadas por leveduras do género Cândida. Por outro lado, esse
mesmo sistema de vigilância relatou que no período de 1989 a 1999 houve aumentos significativos nas prevalências das infecções causadas por Cândida albicans.

2 comentários:

Glenda disse...

Tambnm suspeito sofrer desse mesmo problema, gostei muito do seu blog, super informativo! Parabéns.

Conceição Ramos disse...

Pois Glenda, no meu caso depois de uma operação aos ovários, só me queixava de dores nos ossos e articulares assim que saí do bloco operatório,seguida de uma enorme diarreia, mas o facto foi ignorado e daí para a frente nunca mais tive um dia de saúde.

Como se não bastasse comecei a fazer uma infecção atrás de outra pois minhas defesas caíram, e debaixo de meu desespero deixei que me levassem com um diagnóstico errado para uma segunda operação. Claro que piorei e remédio nenhum me fazia efeito no entanto enchiam-me de antibióticos, anti-inflamatórios e corticoides e não só.Enfim corri todos os especialistas e fiz todos os exames possíveis, fiz tratamentos a N doenças que não tinha.

Convidaram-me a desistir de me tratar e chegaram a dizer-me que era NERVOS.Fiquei com vontade de os matar...sabia que não era nervos, sabia que estava muito mal e nunca desisti, disse algumas verdades na cara de alguns Doutores e procurei ajuda noutros até descobrir meu mal, que claro agravou imenso nos anos que perdi. Devido a minha persistência descobrimos finalmente meu mal só que num estado já bastante complicado. Porém estou cá e vou continuar pois agora que já sei o que tenho agarro-me com unhas e dentes a tudo o que de bom a vida me dá e jogo ora tudo o que não presta!

Sigo religiosamente minha alimentação,não fumo, não bebo e faço o desporto que me é possível, ando muito a pé sempre que o tempo me o permite faço imensos suplementos alimentares,a vacina e o tratamento homeopático,que cuidado não pode ser igual para todas as pessoas, porque outros problemas de saúde podem condicionar o mesmo. Só certas coisas são básicas e até mesmo a alimentação, pode ser condicionada. No meu caso soja fez-me muito mal. ATENÇÂO ás alimentares intolerâncias, que são importantes neste processo todo.Aquele abraço de quem a compreende e suas melhoras. Conceição