quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Hoje Escolhi Ajudar Quem Me Dá Amor

Ontem dirigi-me á rua onde estou a habitar para levar ração aos gatinhos da rua. Um senhor a quem eu já me referi sobre meus animais e que sabe que eu tenho muito amor por eles, perguntou-me porque eu não adoptava uma criança. Parece que as pessoas não compreendem que um animal também tem direito à vida.

Quanto á adopção é bem diferente. Eu saio de casa e deixo meu animal em casa, por algumas horas, já não deixo uma criança. Entre outros problemas bem graves que sabemos acontecer, e que eu já vi acontecer. Crianças que são entregues a famílias que depois os pais biológicos as vão buscar. Um pai ou mãe que não as quiseram, e um dia  lembram que elas existem, e ninguém quer saber dos sentimentos e do sofrimento de quem adoptou.

Mas se existem  pessoas capazes de o fazer, certamente eu sou uma delas. Mas os obstáculos na adopção são muitos e fazem as pessoas desistir muitas vezes. De qualquer maneira eu já tenho a minha parte de filhos. Não consigo compreender a confusão que dá a alguém, quando uma pessoa ajuda um animal e têm logo comparar com uma criança ou pessoas.

Uma criança não come ração e não dorme num cantinho da casa e ambos têm direito á vida.
Já se me perguntarem porque eu não ajudo um adulto em vez de ajudar um animal sou frontal ! Gosto mais dos animais! Eles são puros e amigos já as pessoas não. No entanto passei metade de minha vida a fazê-lo. Já ajudei muita gente pela minha vida fora e hoje conclui que as pessoas em geral não o merecem. Afinal eu também sou uma pessoa e também tenho tido problemas e graves, nunca vi ninguém vir na minha direcção a não ser os meus únicos e verdadeiros amigos, meu marido e minhas filhas, a esses eu vou sempre ajudar de certeza...
Sou uma pessoa que se fartou da hipocrisia e que apesar de sempre ter ajudado animais sempre ajudou pessoas  (no passado).
Hoje escolhi ajudar quem me dá amor sem nada pedir a não ser o meu carinho e que me conhece pobre ou rica, OS ANIMAIS. E não devo nada a ninguém por isso, nem eu nem ninguém.

2 comentários:

Len disse...

Não a conheço mas vejo que partilha o mesmo amor que eu pelos animais. Andei a correr atrás de um canito que se via perfeitamente que tinham abandonado na época da caça, num dia de chuva durante meia hora de carro para o recolher e tratar. É o meu cãozinho hoje, a minha companhia, o que outros abandonaram eu recolhi. Porquê? Não sei. É tão meigo tão simpático tão engraçado. Mas não dava para a caça. Eu choro quando vejo os animais na rua, quero traze-los a todos mas não posso. Dói-me o peito e digo sinceramente, prefiro os animais às pessoas, à excepção da minha querida mãe, eu ajudaria sempre um patinhas em primeiro lugar se estivesse numa situação em que tivesse de optar por uma pessoa ou um animal. SEM QUALQUER TIPO DE DÚVIDA OU ARREPENDIMENTO. Força. Que nos saia o Euromilhões para os ajudar a todos.

Conceição Ramos disse...

Verdade Len. O que me faz sofrer mais por eles, é ver as injustiças de que são alvo, maus tratos e abandono de quem mais amam seu dono. è triste e vergonhoso para o homem.