quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Recordar Larinha


O amor existe, minha filha tratando de uma sobrinha minha com o amor de uma mãe. A mãe fez cesariana e a menina que nasceu teve todo o amor do mundo da tia e das primas. Pena que não tivessem sido gémeos ou trigémeos, pois dava uma para cada uma pegar. Larinha não tem mãos a medir e ADORA ANIMAIS e não é alérgica a eles e sempre viveu com eles.

1 comentário:

Conceição Ramos disse...

Larinha acadinha de nascer, tinha oito dias e já sorria. A tia São era o que ela mais queria e a prima minha filha. Era só amor e é.